terça-feira, 16 de junho de 2009

Três dias que mudam a sua vida...

Semana passada participei do concurso público para professor adjunto da Universidade Federal de Pernambuco (área Educação a distância: fundamentos e metodologia da EAD). Sem querer radicalizar, se Socrátes, Homero e todos os autores dos clássicos vivessem nesta época, sem dúvida escreveriam sobre um concurso público para professor. São várias pequenas torturas, que vão se avolumando ao longo do processo e, caso o cidadão sobreviva até o final em pleno uso de suas faculdades mentais, terá uma chance de ser incluído no seleto grupo de professores doutores de uma IFES qualquer. Primeiro é a inscrição, é preciso procurar os documentos, atualizar o maldito currículo lattes (que já não sei bem se é uma homenagem ou uma vingança de algum desafeto acadêmico), pagar a taxa no Banco do Brasil (que dispensa comentários) e enviar por Sedex. Depois disso tudo, começa a tarefa detetivesca para descobrir se sua inscrição foi homologada ou não, a experiência (=UFPB) já me mostrou que se não tiver nenhuma teoria da conspiração em jogo, tudo pode dar certo, caso contrário... Neste caso específico, a ansiedade foi grande porque além de estar escaldada eu estava concorrendo como doutoranda, sem ter certeza absoluta de que os documentos estavam corretos. Depois é fácil, basta escrever um artigo de dez a quinze páginas para cada ponto, elaborar esquemas, desenhos ou qualquer outro artifício que faça o cristão memorizar todos eles, ter um cuidado enorme com as referências, escrever de forma impecável, sem borrões ou riscados e pronto! Está automaticamente habilitado para a prova didática que acontecerá 24 horas Jack Bauer depois de sorteado o ponto. Ah, sim, esqueci do ponto alto, na UFPE é realizada uma leitura pública da prova escrita! Como? Sim, querido leitor, se você não domina o conteúdo, não apareça lá, porque depois de escrever até a munheca cair e os olhos saltarem, temos que ler a nossa produção. Confesso que só continuei no processo porque realmente eu dominava todos os pontos em nível de não dar um vexame completo, mas conheço muita gente que faz concurso (e passa!) porque conta com a possibilidade de sorteio de determinados pontos, enquanto não saca nada dos outros. Bom, parece que 24 horas é mais do que o suficiente para montar uma plano de aula com seus respectivos slides, certo? Errado, o cansaço, o sistema nervoso e as noites mal dormidas começam a cobrar o seu preço exatamente nesta etapa final, e o risco aqui é grande. Eu já sabia que existe alguma coisa mágica com o tempo de aula em concursos, aquela aula maravilhosa que você treina em casa com duração de 60 minutos é misteriosamente encolhida na hora H, e você se vê em desespero completo para esticar os minutos que faltam e não ser reprovado. Sabendo disso, eu preparei um plano B com slides e esquemas que poderiam ser acelerados caso fosse necessário ou apresentados beeeeeemmm devagar no final da nossa Ilíada de Homero. Ao final de tudo, eu que já nem conseguia falar direito, perguntei quando saía o resultado. - Amanhã, às dez horas, respondeu a banca. -Ahhh... Vai estar fixado aqui na sala ou no departamento? perguntei. A banca me olhou como se eu fosse uma alienígena demente (juro que corri um sério risco de ser reprovada nessa hora):- Você não entendeu. O resultado é divulgado a partir das dez horas porque os envelopes são abertos na hora e a contagem dos pontos é pública! Mas que raios, tudo é público neste concurso? Ou seja, se você não deu vexame na leitura da prova, não pagou mico na hora da aula, ainda corre um sério risco de ser exposto ao ridículo na hora do resultado. Como mulher de fibra que sou, fui até lá com a cara e a coragem e, embora eu soubesse que tinha ido bem na prova escrita, sabia que todos poderiam ser reprovados. Entrei na sala, vi os resultados no quadro, mas só compreendi quando o professor Luiz Mercado me deu os parabéns. Saí de lá atônita, com o coração inflado de tantos abraços de boas vindas, e com uma sensação incrível de ter conseguido algo que consumiu meus três últimos anos de trabalho árduo e dedicação total. Toda a minha resignação diante dos contratempos da vida (e a decisão inabalável de não ir para o lado negro da força) teve a sua recompensa materializada naquele momento único. Só pude pensar em uma coisa: os anjos agiram por mim!

16 comentários:

Fernando SC Pimentel disse...

Minha amiga, fico imensamente feliz pela sua nova conquista. Prepare-se: outras virão! rsrsrsrs

Parabéns mesmo. Quem sabe você por lá não dá boas dicas para que estes processos sejam mais viáveis e humanos.

Um abraço. Nos enontramos no EPENN!

Fernando Pimentel

Ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana disse...

Fernando,

Obrigada pelo carinho e generosidade de sempre.

Beijos

D@ni disse...

Nossa, tava lendo e ficando extremamente cansada e aflita com medo de vc ter sido reprovada. caramba, isso tudo? Imagina qts litros de lágrimas eu teria chorado se estivesse em teu lugar.kkkkkk.
Mas parabens Bia, vc merece...

Luiz N.Vieira disse...

Querida Ana!
Sabes que sou seu fã número (não importa se não for o primeiro). Quero te desejar felicidades pelo ssua nova conquista e espero que outras mais aconteçam...
Bjos saudades.....
Luiz

Ana disse...

Dani,

Viu só, a estrada é muito longa e cheio de percalços, mas chorar alivia a alma. Obrigadinha...

Beijos

Ana disse...

Luiz,
Eu é que fico honrada de ter um fã número um como você! Estava com saudades...

Beijos

Anônimo disse...

Oi Ana

Estou vendo que você`"é mulher de fibra" mesmo! Depois de tudo que passou, ainda ter coragem de registrar essa epopéia... Não restam dúvidas. Você aprendeu na Paraíba !!! Além de "mulher de fibra" é também "mulher macho sim senhor"!!! Valeu, Ana. Quando vamos comemorar?
Um beijão
Diva

Ana disse...

Querida Diva,

Você não imagina a minha felicidade em poder comemorar com você e Iô naquele dia. Voltei para casa com coração cheio... Muito obrigada pelo seu apoio, conselhos, orações e proteção. No final deu tudo certo e devo muito a você. Vamos nos encontrar para comemorar sim, nós merecemos!

Beijos

Thelma disse...

A descrição dessa maratona não poderia ser mais fiel e real! Parabéns pela exatidão das palavras, pela fibra demonstrada e pelo show dado neste concurso!
Até breve,
Thelma

Ana disse...

Thelma,

Afe, você também é blogueira?!? Adorei, viu? Eu estava procurando seu e-mail para enviar a aula para você. Agora, já te encontrei na rede.

Beijos

Anônimo disse...

Olá Ana,

Confesso que fiquei com medo depois de ler seu post...farei meu primeiro concurso para professor mês que vem na UEPB....
Parabéns pela conquista!!

Elba Maria

PS:. Sou aluna da especialização em EAD do SENAC, sempre leio seu blog :)

Ana disse...

Elba,

Não tem jeito, a adrenalina é grande, mas o resultado vale a pena! Boa sorte para você, se precisar de ajuda é só falar.

Beijos,

Cristiano Ferronato disse...

Carissima como sempre vc consegue passar muito bem estes momentos pra gente. Nos conhecemos a pouco tempo mas se tem uma pessoa que merece essa vaga é vc uma mulher talentosa, dedicada e muito competente. Parabéns e boa sorte nesta jornada. Grande Abraço amiga.

Ana disse...

Cris,

Muito obrigada,você foi uma das primeiras pessoas que ficou sabendo. Estou toda fofa... Finalmente as coisas começam a se encaixar e fazer sentido.

Beijos

INFORMÁTICA COM A PROFªCYNARA disse...

Ana, parabéns por sua aprovação,sei que esta colhendo os frutos de muito trabalho e estudo!!Te desejo muito e muito mais sucesso!!!Pois sei que você tem merecimento!!
da admiradora e fã (lembra quando lhe reconheci pessoalmente no 2º Simpósio sobre Hipertexto da UFPE e lhe disse que já lhe conhecia pelo seu Blog na Internet? É sou eu Cynara(tiramos até foto na Livraria Cultura de Recife)Lembra?
Lendo o seu relato penso que também passarei por algo semelhante pois estou também inscrita em um concurso público para professor .Isto é, se a minha inscrição for homologada!!!Se Deus quiser será...Risos
um abraço fraterno
Cynara

Ads Banner

Google Analytics