terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Janela com Tramela

Eu visitei minha avó materna poucas vezes na minha vida, em parte porque ela morava no interior e porque os vínculos da minha mãe com a família eram precários. Meu contato com ela aconteceu apenas até a minha adolescência, na minha fase adulta nunca mais voltei a visitá-la. A casa em que ela morava era uma típica casa de interior, com poucas janelas de madeira com tramela, chão de cimento vermelhão e porta dividida em duas metades, a metade inferior sempre fechada para evitar a entrada dos bichos. Eram muitos bichos, porcos, galinhas, marrecos, etc. Eu era alérgica e todas as vezes voltava da casa da minha avó coberta de bolhas provocadas pelas picadas dos insetos. Hoje, em minhas viagens para o meu trabalho em Campina Grande, sempre vejo várias casas idênticas a da minha Vó Ana, e sempre me pergunto porque as pessoas ainda usam o sistema de tramela (ou taramela) como trinco das janelas. É como se as pessoas se recusassem a experimentar outro modo de vida, diferente do que elas conheceram. Percebo como uma reafirmação das raízes através da resistência ao novo. No fim do dia, o cheiro de mato queimado me traz imediatamente as lembranças daquele tempo, quando se usava o fogão fora da casa em uma área aberta porque a fumaça do fogão à lenha não permitiria a cozinha dentro de casa. Na semana passada, visitei um assentamento do movimento sem terra em um município próximo. Foi uma tarde muito agradável e tirei fotos das construções exatamente iguais as imagens do meu passado. Eu, Sônia e Alásia, passamos uma tarde que nem parecia trabalho, e foi muito interessante entrar no túnel do tempo e relembrar as texturas, o cheiro e as cores de um modo de vida do interior, tão distante de minha realidade atual.Voltamos de lá cheia de idéias para colocar em prática, variando da alfabetização de adultos até projetos de inclusão digital. A parte mais engraçada do dia foi quando tivemos que atravessar o rio de carro e Sônia, com medo da profundidade, se dispôs a atravessar o rio a pé para garantir que o carro não afundaria e nem seria arrastado pela correnteza. Nada vai apagar da minha memória nossas risadas ao ver nossa orientadora vadeando e segurando seu vestido na altura dos joelhos enquanto a profundidade só aumentava. Nós, que não valemos uma rosquinha furada, registramos este singelo momento em uma linda fotografia. A única razão de não compartilhar este momento mágico aqui no blog, é a certeza de que ela nos cortaria em pedacinhos...Foi um fechamento quase mágico de um ano tão difícil, mostrando que a vida é feita destes momentos pequenos de felicidade. Feliz Natal para todos!

9 comentários:

Alásia disse...

Pois é, Beatriz
foi um momento manífico (tem nada a ver com o reitor, tá! kkkk) o que passamos lá em São Miguel de Taipú! Felizmente, todas nós que partilhamos esse momento tivemos a sensibilidade de vê-lo como um "fechamento" do ano de 2008 em grande estilo!
É bom sentir isso... que a vida, os lugares e as pessoas verdadeiramente valem a pena, e não são ápenas acessórios em nossas vidas!
partilho contigo a lembrança da bela tarde que passamos e que, vamos combinar: nós merecíamos aquela paisagem, natureza e beleza, toda, ali, nos preenchendo...
Feliz Natal pra ti e família
Beijos,
Alásia

Manuel Fernandes disse...

Já estou até sonhando com essa paisagem bucólica. Pelo relato foi inesquecível mesmo... mas vocês merecem isso e muito mais!

Boas festas, amigas!

Ana disse...

Alasia,

Eu estava doida para nossa querida doutora orientadora ler o blog e autorizar a publicação da tal fotografia (kkkkkk). Foi muito bom o nosso convívio este ano, aprendemos muito e nos ajudamos muito tb. Nossa experiência mística sentadas no banquinho da amargura no PPGE valeu a pena!

Beijos,

Ana disse...

Manu,

Parabéns por tua conquista, fico feliz que tenha dado tudo certo. Agora é escrever a tese, fio, porque rapadura é doce, mas não é mole não...

Beijos,

Lilian disse...

Olá, gostei da história. Em agosto estive com meus alunos do Ensino Médio visitando um assentamento e um acampamento aqui em São Paulo, foi bem interessante. tenho vontade, aliás, de pensar num projeto que possa proporcionar diálogos sobre esse tema em vários estados, quem sabe podemos articular algo?
Parabéns pelo blog, e gostei também da tua argumentação lá na lista dos blogs educativos, diversidade de pensamento é tudo na democracia!
abços e bom 2009!

Ana disse...

Lilian,

Obrigada pela visita, eu gostaria muito de articular algum trabalho em conjunto, seria muito interessante... Um ótimo 2009 para você!

Beijos,

Túlio disse...

Cara Ana,
Desculpe entrar em contato por aqui (hehehe), mas é que estou aguardando a ficha de inscrição no EAD/UEPB. Seu e-mail parece estar com problema.

Prof. Marco Túlio
tuliogeografia@gmail.com

Ana disse...

Túlio,

É que estamos de recesso até o dia 05 (rsrsrs). Meu material está no computador em Campina, semana que vem eu envio para você.

Abraços,

Túlio disse...

Brigadão!

Ads Banner

Google Analytics