segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Doutorado Concluído

Hoje foi o dia de enfrentar a banca examinadora com cinco doutores extremamente qualificados para dissecarem o meu trabalho em todas as suas nuances e entrelinhas. Não é tarefa fácil, a tese é como um filho e nos revelamos muito mais em nosso texto do que podemos imaginar. Assim, as incongruências, deslizes, falhas, ambiguidades, estão lá, evidenciadas para que a banca aponte. Mantendo as devidas proporções é como estar nua enquanto todos ao seu redor estão vestidos... Não é uma sensação muito agradável. Todos se supreenderam com a minha calma na apresentação, mas adiantava ficar nervosa? Uma professora do mestrado me deu um conselho interessante: fique tranquila porque ninguém saberá mais do seu trabalho do que você mesma. Talvez a calma seja fruto da minha segurança do percurso e das minhas escolhas, as pessoas podem até não gostar, mas vão ter que respeitar, e só isso importa. A defesa em si não significa grande coisa, considero o processo muito mais desgastante do que o momento da defesa. Ali, as pessoas opinam, mas fora algo mais sério, não exercem o poder de interferir diretamente no trabalho. As sugestões são interessantes porque vemos um outro olhar sobre a nossa produção, mas o contexto de avaliação tira qualquer prazer em discutir o seu trabalho. Eu adoraria argumentar, explicar, mostrar como o processo foi construído e as escolhas teóricas realizadas. Porém, a tensão do momento e o caráter formal da apresentação, acabam com qualquer desejo de sentar ao lado dos componentes da banca e falar sobre a criação, o criador e a criatura. É uma pena, porque seria bem mais proveitoso sem os rapapés para chegar até o momento da palavra final: aprovada! A melhor parte foi o almoço descontraído e muito divertido depois da defesa. O sofrimento também tem as suas recompensas...

10 comentários:

Cristiano Ferronato disse...

PARABENS DOUTORA VC MERECE.

Thelma disse...

Doutoríssima, vc é tdb!!!! Parabéns!!!!
Super abraço.

Fernando SC Pimentel disse...

Parabéns Doutora Ana!

Você merece!

Um abraço.

Lúcia Serafim disse...

Oi Bia
Mais uma vez, expresso minha alegria pela conclusão do seu Doutoramento. Já fiz isso pelo telefone, mas marco agora no seu blog. Você é uma Batalhadora, mulher de fibra, educadora como poucas, eta mulher Carioca Cabra da peste, amiga da gente, gente boa que gente que sabe ser gente entende " a dor e a delícia de ser o que é ".
Grande abraço
Lúcia Serafim

Ana disse...

Cristiano,

Obrigada pela força durante a minha caminhada.Espero poder retribuir o carinho e a atenção sempre!

Beijos

Ana disse...

Thelma,

Obrigada, já estou pegando no pesado. Já tem um escaninho com o seu nome no DMTE! Falta pouco...

Beijos

Ana disse...

Fernando,

Meu amigo a distância, obrigada pelas palavras. Vamos nos encontrando no mundo virtual.

Beijos

Ana disse...

Lucinha,

É muito bom ver o resultado positivo de nossa luta. Vamos seguindo em frente, sem perder a ternura e a amizade jamais...


Beijos

Manuel Fernandes disse...

Embora com algum atraso (sabes da minha realidade de deslocamento permaqnente) também quero registrar a satisfação de saber do objetivo atingido.
Parabéns Ana. Felicidades na vida.

Anônimo disse...

"Olá colegas,
Deixo aqui a divulgação da Primeira Olimpíada Nacional em História do Brasil, iniciativa inédita no país, organizada pelo Museu Exploratório de Ciências da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com o apoio do CNPq. A Olimpíada é para escolas públicas e particulares e acontece pela internet, com equipes formadas por estudantes do oitado e nono anos do ensino fundamental e por estudantes do ensino médio, juntamente com seu professor. As inscrições já estão abertas!
www.mc.unicamp.br
Obrigado"

Ads Banner

Google Analytics