sábado, 14 de julho de 2012

EaD e a formação de professores

Semana passada fui procurada por Rafaela Bortolin, jornalista da Gazeta do Povo (Curitiba) para uma entrevista sobre as vantagens e desvantagens da formação a distância para os professores. A matéria intitulada 30% dos professores em formação no Brasil cursam graduação a distância ficou excelente, com dados e opiniões interessantes sobre o tema. A matéria apresenta também infográficos e quadros explicativos sobre o reconhecimento e avaliação dos cursos.A jornalista pesquisou bastante e captou exatamente a essência da discussão espinhosa sobre a aposta governamental para formar professores utilizando a modalidade a distância. A minha opinião na matéria faz parte dos resultados da minha pesquisa sobre letramento digital e formação dos professores a distância.

38 comentários:

Pensamentos ou conflitos? disse...

Bom dia, professora. Tudo bem?
No relato de sua entrevista, você comentou que está fazendo uma pesquisa sobre letramento digital.É possível você me descrever bravemente de que se trata?
Sou pedagoga e faço um curso de metodologias e gestão para a educação a distância.


nunes-mariza@bol.com.br

Abraços e obrigada,
Mariza - Campinas/SP

Ana disse...

Mariza,

Uma parte dos resultados da pesquisa está neste artigo http://www.abt-br.org.br/images/rte/195.pdf e o resumo do projeto está aqui http://pesquisaletramentodigital.blogspot.com.br/p/projetos-de-pesquisa.html

Abraços,


Ana

Rosemary Verrone disse...

Profa. Ana Beatriz
Parabens pelo blog. Além de informativo, ele é instigante, pois seus textos me fazem pensar muito a respeito da complexidade da EAD.
Sobre a formação de professores, penso que a EAD é relevante e contribui consideravelmente para a melhoria da qualidade do ensino. Temos que considerar a existência de muitos professores leigos no país, ou seja, pessoas que ensinam o pouco que sabem sem o mínimo do conhecimento técnico necessário ao exercício da profissão. Infelizmente, esse fenômeno ainda é muito comum no Brasil, especialmente nos lugares onde não há instituições de ensino superior dedicadas as licencituras. Essa questão precisa ser consirada antes mesmo de questionarmos a qualidade das licencituras oferecidas nesse modalidade.

fernanda guillon disse...

Bom Dia Ana, parabéns pelo blog e por este artigo, sou aluna de pós em curso de EaD e fiquei muito feliz com os resultados deste artigo. Ana, gostaria de saber se a Sra. se formou em um curso em EaD ou esta em formação?
Fernanda
Pindamonhangaba-SP

Flavia O. disse...

Profª Ana Beatriz, boa tarde, estou realizando uma pesquisa sobre o ensino e aprendizagem de Literatura Inglesa a distância e gostaria de saber se a senhora consideraria o EAD como um meio mais fácil para que o aluno alcance a transdisciplinaridade se comparado ao ensino presencial no qual, por vezes, o espaço físico e temporal limitam a solução imediata de dúvidas por parte de alunos mais críticos?
Flavia
São Paulo

Alessandra Pedro disse...

Prezado(a),

Gostariamos de solicitar que seja divulgado em seu blog informações sobre a 4ª Olímpiada Nacional em História do Brasil, um projeto voltado aos professores e alunos de todo o Brasil.

4ª Olimpíada Nacional em História do Brasil

O Museu Exploratório de Ciências – Unicamp recebe a partir do dia 01/06/2012, as inscrições para a 4ª Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB). Poderão participar estudantes regularmente matriculados no 8º e 9º anos do Ensino Fundamental e demais séries do Ensino Médio, de escolas públicas e privadas de todo o Brasil, incluindo alunos do Ensino de Jovens e Adultos (EJA). Para orientar a equipe, composta por três estudantes, é obrigatória a participação de um professor de história.
O formulário de inscrição e o boleto para pagamento estarão disponíveis no site do Museu Exploratório de Ciências de 01 de junho até 10 de agosto. A taxa de inscrição é de 21 reais para as equipes de escolas públicas e 45 reais para as equipes das escolas particulares. O valor da inscrição corresponde à inscrição de todos os membros da equipe (incluindo o professor-orientador).
Em 2012, O Museu Exploratório de Ciências custeará, para participarem da final, as passagens de avião das 27 equipes mais bem colocadas em cada estado da Federação (escolas públicas ou particulares) e mais 10 equipes de escolas públicas com a maior pontuação, sendo uma por região do país, e cinco escolas públicas com mais alta pontuação em todo o Brasil, independente de sua região. Após a final da Olimpíada, os professores responsáveis por essas equipes são convidados a permanecer na Unicamp para realizar capacitação de uma semana, com custos de hospedagem cobertos também pelo Museu.
A ONHB premiará escolas, alunos e professores, com medalhas de ouro (60), prata (100) e bronze (140) e certificados de participação para todos os inscritos e também para as escolas.
A 4ª Olimpíada Nacional em História do Brasil é uma iniciativa do Museu Exploratório de Ciências – Unicamp. O evento é patrocinado pelo CNPq e tem o apoio da Rede Globo de Televisão e da Revista de História da Biblioteca Nacional. A última edição, realizada em 2011, inscreveu mais de 65 mil participantes e reuniu cerca de duas mil pessoas na final presencial, realizada na Unicamp, nos dias 15 e 16 de outubro.
A ONHB é organizada pela equipe do Museu Exploratório de Ciências e as provas são concebidas e elaboradas por historiadores, professores e pós graduandos de História da Unicamp. Como proposta, os participantes têm a oportunidade de trabalhar com temas fundamentais da história nacional e de conhecer de perto as práticas e metodologias utilizadas pelos historiadores.

Calendário da 4ª ONHB
Inscrições e pagamento dos boletos: de 01/06/2012 a 10/08/2012.
Primeira fase: inicia no dia 20/08/2012 e finaliza no dia 25/08/2012.
Segunda fase: inicia no dia 27/08/2012 e finaliza no dia 01/09/2012.
Terceira fase: inicia no dia 03/09/2012 e finaliza no dia 08/09/2012.
Quarta fase: inicia no dia 10/09/2012 e finaliza no dia 15/09/2012.
Quinta fase: inicia no dia 17/09/2012 e finaliza no dia 22/09/2012.
Grande Final Presencial: Prova: 20/10/2012
Cerimônia de Premiação: 21/10/2012

Inscrições no site: www.mc.unicamp.br


Atenciosamente
Alessandra Pedro
Coordenadora Associada Olimpíada Nacional em História do Brasil
Museu Exploratório de Ciências
Caixa Postal 6025
UNIVERSIDADE ESTADUAL D E CAMPINAS (UNICAMP)
Cidade Universitária Zeferino Vaz
13083-970 - Campinas – SP
Brasil

Pensamentos ou conflitos? disse...

Boa tarde, professora.
Li os textos que me indicou, obrigada.
Penso que, partindo do princípio que letramento deriva do inglês -
literacy - cuja sua acepção é a "condição de quem sabe ler e escrever em diversas situações de contextos, o letramento digital além de abranger esses princípios tem, também, agregado a esse processo, a tecnologia, correto?
Ou seja, o indivíduo (professor) além de dominar a leitura e a escrita, precisa dominar os meios tecnológicos e sua aplicabilidade para assegurar a efetivação do ensino-aprendizagem na era da informação.

Bom final de semana.

Mariza - Campinas/SP

Ana disse...

Rosemary,

Você tem razão, é preciso considerar as dificuldades de acesso ao ensino superior que muitos professores que estão efetivamente em sala de aula encontram. A EaD tem um papel essencial neste processo e não pode ser desqualificada apenas por sua metodologia pois sabemos que existem muitos cursos presenciais de qualidade duvidosa.

Abraços,

Ana

Ana disse...

Fernanda,

Eu trabalho com EaD há alguns anos, mas nunca fiz um curso regular a distância, embora tenha experimentado cursos de línguas e alguns cursos de formação continuada. A minha tese de doutorado é sobre EaD, na perspectiva das políticas públicas e dos Estudos Culturais.

Abraços,

Ana

Ana disse...

Flávia,

Acredito que os cursos na modalidade a distância podem ampliar as possibilidades de aquisição do conhecimento dos alunos. Porém, isso só vai acontecer se as práticas pedagógicas do curso propiciarem a diversidade e reflexão. Já sabemos que a distância, por usar um forte agregado tecnológico, oferece mais ferramentas e possibilidades pedagógicas para os alunos. Por outro lado, também temos clareza de que só o uso das tecnologias digitais não resultará em uma prática pedagógica inovadora. Concluindo: se a proposta pedagógica do curso a distância for aberta e propiciar a construção do conhecimento, as condições serão mais propícias do que no ensino presencial.

Abraços,

Ana

Ana disse...

Alessandra,

Farei um post para divulgar as olimpíadas de História.

Abraços,

Ana

Ana disse...

Marize,

É isso mesmo, para trabalhar o conceito de letramento digital precisamos buscar a construção teórica no letramento no sentido de aquisição da leitura e escrita. Temos dois textos importantes sobre o tema:

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte, Minas Gerais: Autêntica, 1998.


SOARES, Magda. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura, Campinas: Educação e Sociedade, 2002.

Abraços,

Ana

Claudileni Correia disse...

Cara Professora
Essa matéria deixa claro a proporção que os Cursos EAD estão alcançando em nosso país. Muito embora ela esteja focada na formação de docentes, devemos ter em mente que a modalidade EAD chegou para fazer a diferença. Gostei muito do material publicado, afinal, me coloquei no meio desses 30%, e passando por essa experiência eu só consigo enxergar vantagens na modalidade EAD. Uma das principais vantagens que vejo é que: as instituições que oferecem cursos EAD também passam por processos avaliativos e que são monitoradas pelo MEC, daí já se pode perceber a seriedade do negócio. Concordo plenamente com a Profesora da UNB "Maria de Fátima Guerra de Souza", quando coloca que é um mito achar que a EAD não capacita adequadamente os profissionais, pois não é a distância que determina a qualidade de uma graduação. É muito sábia a colocação da Professora.
Abraços,

Ana disse...

Claudileni,

Você tem razão, justamente por ser tão criticada, a EaD precisa mostrar mais qualidade nos seus cursos do que os cursos presenciais que nunca são questionados, mesmo quando apresentam qualidade duvidosa. Penso que os bons resultados dos alunos egressos da EaD em concursos, Enade etc. mudarão bastante a opinião das pessoas sobre a modalidade. Obrigada por seu comentário, gostei muito do seu depoimento.
Abraços,

Ana

fernanda guillon disse...

Ah que legal Ana, eu estou fazendo pesquisas para a minha pós, de blogs onde o assunto é Ead, e gostei muito do seu blog, tem um conteúdo bem elaborado, irá me ajudar muito na conclusão do meu trabalhado.

abraços,

Marcelo disse...

oi

Marcelo disse...

Claudileni, parabéns pela participação!

Abraços.

Marcelo

Marcelo disse...

Rosemary, parabéns pela participação!

Abraços.

Marcelo

Ana disse...

Fernanda,
Que bom que o blog foi útil para você! Se precisar de alguma informação adicional, é só falar!

Abraços,

Ana

claudia reisania disse...

Boa Noite Profª Ana, parabéns pelo blog e por este artigo, sou aluna de pós em curso de EaD e fiquei muito feliz com os resultados deste artigo. Sobre a formação de professores, penso que a EAD é relevante e contribui consideravelmente para a melhoria da qualidade do ensino. A Educação a distância é a modalidade educacional que mais tem crescido no Brasil. A educação a distância é sobretudo uma forma diferenciada de ensinar e de aprender.
Pode-se dizer também que, o avanço da tecnologia apresenta benefícios para a educação de um modo geral, até porque pode influenciar positivamente os professores, parte fundamental e imprescindível no processo de ensino e aprendizagem. Essa influência surge da necessidade do professor de rever conceitos, posturas e posições de sua prática pedagógica a fim de adaptá-las às mudanças na sociedade e ao avanço da tecnologia. Acredito que os cursos na modalidade a distância podem ampliar as possibilidades de aquisição do conhecimento dos alunos. Porém, isso só vai acontecer se as práticas pedagógicas do curso propiciarem a diversidade e reflexão.

Léa Gomes disse...

Olá Profª Ana, fiquei encantada com sua pesquisa, nos aponta novos caminhos e se bem utilizada a tecnologia da informação e comunicação podem auxiliar na socialização do conhecimento e alcançar pessoas que não teriam outras oportunidades de acesso, parabéns por ser uma pesquisadora tão empenhada em buscar novos horizontes. Léa Gomes.

Ana disse...

Cláudia,

Você tocou no ponto central da questão: as práticas pedagógicas nos cursos a distância precisam acompanhar a proposta para o uso das tecnologias. Só assim conseguiremos alcançar o nível máximo de apropriação tecnológica e letramento digital dos alunos nos cursos a distância. Obrigada pelo comentário!

Abraços,

Ana

Ana disse...

Léa,

Obrigada pelo elogio! Fiquei toda fofa!

Abraços,

Ana

Léa Gomes disse...

Ana, quando falamos em letramento digital, observamos que uma grande parcela da população não dominam essa ferramenta, visto que a tecnologia da informação caminha a passos largos enquanto a habilidade para administra-la não acompanha o seu ritmo. Vejo que este é um grande desafio para o projeto de letramento digital, portanto acredito que será um avanço enorme para a educação no Brasil, pois os resultados poderão ser animadores e estimulantes.

Shirley Costa disse...

Boa Tarde Profª Ana,
Parabéns pelo blog. Excelente fonte de informação para todos que se interessam pelo assunto sobre educação digital, tecnologias ou simplesmente pela educação (que de simples não tem nada..rs). A sua pesquisa sobre letramento digital e formação de professoraes à distância me interessou muito, pois apesar de não ser professora, estou me preparando para isso, e gostaria de acompanhar seu trabalho.
Sobre as críticas que a EaD tem sofrido, compartilho da opinião de que a educação presencial infelizmente não te cumprido bem seu papel social e a EaD é para muitos, a única oportunidade de uma boa formação.
Conclui um MBA à distância pela PUC Rio e te digo: adquiri muito mais conhecimento do que na pós presencial que tinha feito antes dele.
Shirley

Adson Veloni disse...

Boa tarde Ana.

Estou gostando muito de acessar as informações postadas por você, seu blog está realmente muito interessante.

estarei sempre por aqui participando, sucesso.

Veloni

Ana Paula Hilleshein disse...

Boa tarde Ana, estive olhando seu blog, e achei super interessante esta matéria.
Otima iniciativa do governo Federal em incentivar professores a buscar maior qualificação para lecionar, a obter maior embasamento para alfabetizar e preparar outras pessoas.
A EAD na minha opinião é uma ótima opção para as pessoas que querem muito continuar e ou aprofundar seus estudos e que se deparam com alguns obstáculos, como por exemplo, ausencia de centros universitários, ou então falta de tempo para frequentar diariamente uma instituição.
Infelizmente ainda existe muito preconceito com a EAD, eu mesma senti isso ao postar um comentário em outro blog sobre EAD, teve uma pessoa que declarou descrédito na modalidade de educação, afirmando que a formação em EAD é duvidosa, isso é muito ruim , pois acredito que não é a instituição que assegura o saber, e sim o proprio aluno que busca, que aprofunda seus conhecimentos e se esforça para tornar-se um bom profissional.

Parabéns pela matéria
Ana Paula.

Ana Paula Hilleshein disse...

Oi Shirley, tudo bem ?
Também tenho a mesma opinião sobre o oportunidade que a educação a distância oferece às pessoas que não possuem condições para estudar, tanto por questões financeiras, ou por falta de tempo, ou pela ausência de faculdades, instituições próximas do interessado.
E sobre a qualidade das modalidades, considero muito complicado, julgar qual é mais eficaz, pois já fiz uma pós na modalidade presencial onde não existia banca para apresentação de monografia, era só entregar o trabalho, não era exigido uma apresentação, tive apenas uma prova durante o curso inteiro.
E na pós que faço, na modalidade a distância, aliás, a mesma que vc faz...rssrrs, está sendo totalmente diferente, temos que apresentar a monografia, temos provas, ou seja, esse contexto é bem diferente dos comentários que sempre escuto sobre a ead, enfim não podemos pré julgar nenhuma das modalidades, o aprendizado não depende só da instituição, mas também do aluno; também não se pode afirmar que a modalidade presencial é melhor do qua à distância.

Ana Paula

Ana disse...

Léa,

Você tem razão, o letramento digital é fundamental para o sucesso do uso das tecnologias nas escolas. É preciso fazer uma distinção entre o letramento digital e a apropriação tecnológica. Muitos professores dominam os dispositivos digitais apenas na dimensão instrucionista do seu uso e não conseguem se apropriar de forma efetiva para o uso pedagógico em sala de aula. Eles alcançaram um nível de apropriação tecnológica que permite o uso, mas não alcançaram o letramento digital na dimensão mais ampla da inclusão social e multiplicação pedagógica das ferramentas. Essa é uma questão importante para entendermos melhor o que realmente acontece nas escolas quando falamos sobre o uso das tecnologias digitais.

Ana disse...

Shirley,

Interessante o seu comentário, várias pessoas ficam surpresas como aprendem mais estudando na modalidade a distância do que no ensino presencial. Costumo trabalhar nas duas modalidades e sempre digo que conheço muito mais os meus alunos a distância do que os alunos do presencial. Tenho alunos que passam o semestre inteiro sentados no fundo da sala sem abrir a boca. Felizmente, as pessoas estão compreendendo hoje que a interação não acontece somente quando estamos próximos fisicamente das pessoas.

Abraços,

Ana disse...

Veloni,

Obrigada! Eu criei o blog exatamente para compartilhar conhecimento e socializar os problemas. Seja sempre muito bem-vindo!

Ana disse...

Ana Paula,

O preconceito com a EaD está relacionado com os processos históricos da EaD no Brasil e no mundo, já que ela foi criada para atender a demanda de pessoas que não tinham condições econômicas para se inserir na educação formal. Hoje as coisas mudaram muito e como usar a tecnologia é também símbolo de status, o senso comum começa a mudar... A questão da qualidade dos cursos já está superada, basta ver os resultados de concursos e do próprio Enade que vem apresentando alunos de EaD entre os primeiros colocados. Temos alunos excelentes e péssimos em todos os cursos, independente da modalidade, assim como professores, cursos, materiais etc. As motivações para realizar um curso a distância são individuais e as pessoas precisam buscar excelência dos cursos e convergência do que é oferecido com os seus objetivos. O resto é só balela! :-)

Abraços,

Adson Veloni disse...

Boa tarde Ana.

Todos sabemos que o EAD é realmente uma grande aposta em muitos segmentos.
Sou Tutor da rede Senasp do Ministério da Justiça, buscamos qualificar os agentes de segurança pública com cursos EAD, e tem dado excelentes resultados.
Sendo visionário, não seria interessante um novo modelo de educação pública, onde ao invés das tradicionais escolas, fossem criados modernos telecentros, e os professores se tornassem tutores de suas materias e administradores de seus cursos ?
Muito obrigado.

Adson André Veloni

Shirley Costa disse...

Ana Beatriz e Ana Paula, boa tarde,
Gostaria de acrescentar nos comentários de vcs um aspecto interessate da EaD. Li uma matéria (infelizmente não tenho olink, já tem algum tempo)que fala sobre a aceitação da EaD nos curriculos profissionais, afirmando inclusive, que grandes empresas veem com bons olhos os graduados em aD, pois é demonstração de interesse na capacitação, já que EaD requer um grande comprometimento e disciplina, além da organização e boa administração de prazos.
Então não é só na área pedagógica que a EaD é o futuro. No mercado de trabalho também.
Shirley

Adson Veloni disse...

Ana, boa noite.

Estou montando um blog, com finalidade academica, gostaria que você se possivel, me desse umas dicas.

Blog:

adsonveloni.blogspot.com.br

Agradeço antecipadamente.

Adson.

Ana Paula Hilleshein disse...

Boa Noite,

Ana sobre a formação de professores, achei importante comentar sobre um programa do MEC, o Proformação, destinando a formação de professores que lecionam nas quatro séries iniciais, no entanto, muitas vezes sem preparo, sem formação para tal.
Desde 1999, foram capacitados 30 mil professores.
Esse incentivo do MEC, pesa muito na qualidade da Educação, acredito que a ausencia da didática interefe seriamente no processo de ensino aprendizagem, saber ensinar, aplicar técnicas e metodos, tornando o conhecimento mais atraente, possível e interessante depende muito da criatividade e conhecimento do educador.

Ana Paula.

Ana Claudia Duarte disse...

Com a legalização da EAD por meio do apoio do MEC (Ministério da Educação e Cultura), do Sistema Nacional de Educação a Distância e a Lei de Diretrizes e Bases de Educação, Decretos e Portarias complementando e regulamentando, especificamente as instituições e cursos de educação a distância e juntamente com o avanço dos recursos das novas tecnologias esta modalidade vem apresentando um crescimento exponencial nos últimos anos aproximando as pessoas para o conhecimento..

Aparê disse...

O processo de ensino aprendizagem quer seja presencial ou a distância requer um espaço interativo e confiável, onde a reciprocidade na construção do conhecimento é fundamental.
O homem chegará a ser sujeito através da reflexão sobre seu ambiente concreto, quanto mais ele reflete sobre a sua própria condição concreta, mais se torna progressiva e gradualmente consciente, comprometido na realidade para mudar.

Ads Banner

Google Analytics