sábado, 28 de julho de 2012

O sucesso do GT Educação no Fisl13

Este post deveria ter sido publicado ontem, mas eu fiquei tão envolvida com os meus orientandos e as atividades que não consegui tempo para finalizar o texto. Bom, como diz a minha querida Katylene, faz de conta que o texto foi publicado ontem, escolha a sua distribuição Linux preferida e vem comigo! A primeira observação mais importante diz respeito ao sucesso do GT Educação. As salas onde aconteceram as mesas e as oficinas ficaram cheias e a ideia do espaço Paulo Freire no FISL já pode entrar para o Top 5 das sacadas inteligentes da década! Se alguém me perguntasse sobre a perspectiva do GT, eu teria sido bem pessimista e vou explicar a razão: foi a primeira vez que o GT apresentou uma proposta efetiva de atividades e o público que frequenta o FISL não está necessariamente interessado em discutir o uso do software livre na Educação. Póim! A realidade foi bem diferente, muitos professores participam do FISL e não encontrar uma programação voltada para as discussões sobre a prática do SL na sala de aula devia ser muito frustrante. Ouvimos muitos depoimentos interessantes e tivemos muitas contribuições importantes para o desenvolvimento dos projetos que estão em andamento e outros que ainda serão criados

A cobertura do evento com fotos e matérias está disponível no site do Software Livre.Muitas pessoas trabalharam duro para que o GT Educação fosse um sucesso e quero parabenizar Ana Matte, da UFMG e o seu grupo dedicado do Texto Livre, Frederico Guimarães, um biólogo e professor incrível e para o meu orientando querido, Wilkens Lenon. Foi a garra de todos eles que viabilizou a criação e consolidação do GT Educação no Fisl. Agradeço muito a oportunidade de participar do evento. Agora, é arregaçar as mangas e trabalhar duro para preparar o próximo evento com muito mais atividades e oficinas.

19 comentários:

Rosemary Verrone disse...

Profa. Ana Beatriz
Parabéns pelo sucesso do GT. Foi muito bom saber que há professores utilizando softwares livres nas salas de aula. Isso revela que o professor não está se limitando a simples aplicação de recursos tecnológicos mas, está ousando a produzi-los.
Essa revelação me deixou empolgada e curiosa. Fui em busca de informaçõe a esse respeito e descobri coisas muitos legais no site: http://br-linux.org/faq-softwarelivre.
Abraços e obrigada.
Rosemary L. Verrone
Rosemary Verrone

Ana disse...

Rose,

A perspectiva dos professores abraçarem o software livre é mesmo muito animadora. O pessoal do Texto Livre da UFMG está trabalhando na concepção de um portal para o professor só com ferramentas livres. É o Portal do Professor Livre e estou muito empolgada com a proposta. Vale a pena conhecer e contribuir com iniciativas assim!

Abraços,

Pensamentos ou conflitos? disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pensamentos ou conflitos? disse...

Olá, professora. Tudo bem?
É lamentante que palestras e oficinas "bem" preparadas não tenham programações efetivas no que diz respeito a sua aplicabilidade de fato. Tudo se perde em teorias. E a prática onde fica? O saber fazer... O conhecer... O que se peca muito no ofício do professor é não trabalhar a arte de ensinar...

fernanda guillon disse...

Bom dia Ana, você pode me ajudar? Em meu trabalho, é preciso ter alguns debates e opniões de pessoas em questãao do EAD, por favor assim que der, pode dar sua opnião sobre a pergunta abaixo? Ficarei muito grata com sua ajuda, pois você tem experiência sobre o assunto.


Na Teoria sabemos que o estudo em EaD depende muito da dediação do aluno e da qualidade de ensino da instituição, mas atualmente você acha que o mercado de trabalho esta aberto para valorizar a competência de um profissional formado em Ead? Pergunto isso, porque tive observando aqui na minha região, interior de São Paulo, e há muita resistência a isso, as empresas ainda estão preferindo pessoas com formação em ensino presencial de 4 ou 5 anos de graduação.

abraços,

Fernanda Guillon

Adson Veloni disse...

Boa noite Ana.

Eu não conhecia esse evento sobre Software Livre, li a respeito e abracei a causa. Se você me permitir vou divulgar no meu blog, assim como sempre defendi e continuarei defendendo o UCA, é o mimímo para se ter uma educação de qualidade.
Conheço um pouco sobre Linux, e digo, um software livre na educação pública seria excelente, pois diminuiria em muito os custos, justamente por não ter que pagar licenças.
Gostaria de receber mais informações a respeito do assunto, agradeço desde já.
Adson Veloni

Ana disse...

Mariza,

Essa é uma preocupação válida, precisamos pensar em oficinas, cursos, atividades etc que tenham um objetivo prático em sua aplicação. As teorias são importantes, mas tem o seu lugar e hora.

Abraços,

Ana

Ana disse...

Fernanda,

Puxa, vamos ver se consigo ajudar! Penso que estamos vivendo uma transição na forma como o mercado encara a formação na modalidade a distância. O preconceito está diminuindo em função do investimento de grandes empresas em cursos a distância para os seus funcionários. O curso de Administração a distância da UAB, por exemplo, é patrocinado pelo Banco do Brasil. Um banco tão importante não apostaria na formação dos seus próprios funcionários em um curso que não tivesse qualidade reconhecida. A FGV tem MBA em várias áreas com aulas aos sábados e são cursos muito respeitados. Os resultados no concursos, no Enade e em outros processos seletivos, tem mostrado que os alunos dos cursos a distância podem apresentar níveis de excelência tanto quanto um aluno oriundo do curso presencial. Para concluir, a maior parte dos diplomas não especifica se o aluno foi formado a distância ou não.

Um grande abraço,

Ana

Ana disse...

Adson,

Pode divulgar como quiser, eu é que agradeço o seu interesse! Você pode saber mais sobre o assunto no site do software livre (http://softwarelivre.org/), do Texto Livre da UFMG (http://www.textolivre.org/site/) e no site sobre REA (recursos educacionais abertos). Espero ter ajudado!

Abraços,

Ana

Cleo disse...

Parabéns pela matéria.
Seu blog é super recomendado.
Acredito que cada vez mais será possível uma modalidade educativa mais conhecida da sociedade, a qualidade vem melhorando o leque de ofertas é cada vez melhor o crescimento e amadurecimento pedagógico, político e social.
Gostaria da sua permissão, conforme nosso amigo Adson para divulgar também suas matérias no meu blog.
Parabéns e muito sucesso na sua jornada.
Estou trabalhando no meu blog, caso queira conhecer será um grande prazer.
http//cleoblogreis.blogspot.com
Abraço.
Cleonice.

fernanda guillon disse...

Ana, obrigada pela resposta me ajudou muito...

abraços,

Oriana disse...

Ana,

Estava procurando um blog, assim como Fernanda, por questões de trabalho para a pós que estou fazendo e adorei o seu! principalmente as informações que tem e as coisas que já aprendi.

Colocando a "colher" na sua resposta para a Fernanda, percebo que a resistência começa nos alunos da graduação que tem disciplinas no modelo EAD e não querem ter o comprometimento necessário, pois como você mesmo comentou no FGV, tem cursos excelentes e gratuitos, mesmo na plataforma do Bradesco: link http://www.ev.org.br/Paginas/Home.aspx que podem auxiliar no nosso crescimento.

obrigada

Thiago Rincão disse...

Prof. Ana Beatriz, parabéns pelo blog, também acho muito importante o uso de softwares livres nas salas de aula, infelizmente ainda temos falta de infraestrutura para esse trabalho.

Sobre os comentários de EaD, acredito que existe falta de informações por parte das empresas contratantes, mas a perspectiva é que isso mude num futuro próximo.

Ana Paula Hilleshein disse...

Boa noite professora Ana,

Gostaria de saber mais sobre os 20% da carga horária da EaD para a educação básica (fundamental e ensino médio) e superior.
Até onde vi já é aprovado na educação básica, neste caso é reservado 160 horas destinadas a atividades complementares.
O estado de Sao Paulo já aplica. Poderia me dizer quais os outros estados que aplicam os 20% para a educação básica, onde poderia consultar essas informações ?

Ana disse...

Cleo,

Pode divulgar, os meus textos estão sob licença Creative Commons e podem ser compartilhados em todos os lugares, desde que sem fins comerciais. Obrigada pelo comentário, vou olhar o seu blog.

Abraços,

Ana disse...

Fernanda,

De nada!Estou na rede para ajudar, compartilhar e socializar. Às vezes, o tempo fica curto e demoro um pouquinho para responder, mas estou sempre por aqui. :-)

Beijos,

Ana disse...

Ana,

Se você está se referindo ao ensino superior, a legislação abrange todo o território nacional e seria necessário pesquisa quais são as insituições que estão adotando e não os Estados. Praticamente todas as Universidades privadas já incorporam os 20% em algumas disciplinas do seu currículo. Tem um livro da Pearson que talvez possa ajudar você: 20% a distância e agora?, de Alda Luiza CARLINI;
Rita Maria Lino TARCIA.

Abraços,

Ana disse...

Thiago,

Também penso assim, o cenário hoje já é bem diferente do que há cinco anos. A tendência é que o preconceito desapareça mesmo.

Abraços,

Ana Paula Hilleshein disse...

Olá Ana, exatamente, gostaria de saber onde posso verificar quais são as instituições que aplicam os 20%, uma análise, e que tipos de atividades são aplicadas. Muito obrigada pela dica do livro, vou pesquisar.
Eu estou fazendo um trabalho pós (ead), e necessito participar de blogs que abordem sobre a educação a distância. Participar do seu blog está sendo ótimo, estou aprendendo mais, buscando contatos e conhecendo a experiência de todos que participam do seu espaço.

Obrigada e até mais.
Ana Paula.

Ads Banner

Google Analytics