domingo, 12 de julho de 2009

A qualidade dos desenhos brasileiros

Fugindo um pouco da temática do blog, preciso contar que estou me tornando pós-doutora em desenhos animados, já que nos intervalos em que tento esfriar os miolos e me distanciar da tese, assisto junto com a minha filha de três anos e meio todos os desenhos possíveis e imagináveis. Vocês podem até pensar que é tarefa fácil, mas só quem mergulha de cabeça nos roteiros complexos e na diversidade dos traços sabe que é preciso horas de dedicação para compreender e acompanhar os desenhos. Temos dinossauros em cartão (virtuais e reais), padrinhos mágicos de um menino solitário com pais displicentes, culto aos exercícios e boa alimentação em Lazytown, um menino melequento e uma amiga de humor ácido que vivem com a morte sabe-se lá porque, uma esponja alienada e seu amigo estrela que são vizinhos de uma lula militante e engajada, menino cientista que estuda em uma escola bem bacana e, finalmente, um desenho brasileiro lindinho chamado peixonauta que desenvolve o interesse científico nas crianças. O desenho tem uma qualidade incrível e não deixa nada a desejar aos desenhos estrangeiros, que aliás, são em sua maioria financiados pelo governo do Canadá. Sim, parece que o Canadá tem uma grande preocupação com a formação de suas crianças e investe pesado nos desenhos educativos. É um bom exemplo de uma política pública para formação das crianças que não esteja direcionada apenas para a merenda ou para a escola. Aliás, já está na hora de mudar esta percepção de que o único espaço de formação das crianças é na escola. Fora dela, os mais ricos complementam a formação com várias atividades e aos mais pobres resta a rua ou com um pouco mais de sorte, a televisão com a sua programação medíocre. Como já dizia a música dos Titãs, a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte!

6 comentários:

Luiz N.Vieira disse...

Admirável mundo imaginário das crianças que nos remetem a sonhos e fantasias tão pertinentes! Viver nesse mundo encantador tendo como mãe uma criatura que concentra energias que nos dá até o luxo e direito de contextos... é algo fabuloso!
Parabéns a filhota e a mamãe!
Abraços do Luiz

Ana disse...

Luiz,

Para dizer a verdade, eu tenho aproveitado bastante esses momentos. Tem horas que quase brigamos pelo controle remoto!

Beijos

Lilian disse...

Oi Ana,
engraçado, no domingo eu havia lido uma matéria sobre isso na Folha de São Paulo, acho que o grosso está reproduzido aqui.
http://gazetaweb.globo.com/v2/noticias/texto_completo.php?c=180651
também curto acompanhar os desenhos com a meninada.
abço
Lilian

Ana disse...

Lilian,

Foi essa reportagem que eu li, achei também muito interessante. Quem diria que o Brasil entraria com força no mercado de desenho animado.

Beijos

welerson disse...

Oi Ana
O Canadá é um país que tem tradição em animação e possui uma das mais respeitadas escolas de animação do mundo, a National Film Board. O Brasil tem muitos animadores de qualidade espalhado pelo país. Na Discovery Kids Brasil também há um outro desenho animado bem interessante chamado Princesas do Mar. Seu criador, Fábio Yabú, é brasileiro mas a produção é feita fora daqui Infelizmente.
Gostei muito do seu texto sobre os Peixonalta. Também assisto muito desenhos animados, na verdade eu gosto tanto quanto a minha filha.

Grande abraço

Welerson R. Morais

Ana disse...

Welerson,

Eu não sabia que Princesas do Mar também tinha um brasileiro na criação. É interessante porque temos vários brazucas fora do país trabalhando na produção de animações (como o Carlos Saldanha em A Era do Gelo), mas o vínculo com produções nacionais é que estão aparecendo como novidade.Obrigada pelo comentário.

Abraços,

Ads Banner

Google Analytics